quarta-feira, 18 de abril de 2018

Concurso Literário Editora InVerso - Inscrições até 18 de abril




Se você ama literatura e está no ensino fundamental e médio, participe do Concurso Literário promovido pela Editora InVerso! Confira o regulamento:

SOBRE: A Editora InVerso promove o Concurso InVerso de Ficção Histórica Brasileira 2018, que objetiva publicar uma antologia com 14 contos ou crônicas de ficção histórica brasileira, escrito por 14 jovens estudantes de 14 a 18 anos de todo o Brasil e residentes no exterior.

A criação deste Concurso deseja instigar crianças e adolescentes a conhecer mais sobre as decisões históricas do país, tendo em vista que 2018 é um ano eleitoral e que decisões importantes de conhecer e escolher quem serão os líderes (eleitos ou não) e como eles poderão mudar o país. Envolve também o estímulo da criatividade sobre decisões políticas tomadas no passado e de projeções futuras de governanças nos âmbitos, municipal, estadual, regional e nacional.

INSCRIÇÕES: O candidato deverá enviar um CONTO ou CRÔNICA INÉDITA, ou seja, que o conteúdo nunca tenha sido publicado, com até 8.400 caracteres para a Editora InVerso de 18 de fevereiro à 10 de abril.

Os vencedores terão suas obras publicadas em um livro de antologias, com direito a 5 livros.
 
Visite a página do Concurso e acesse o regulamento completo: 
sexta-feira, 13 de abril de 2018

Lady Whistledown contra-ataca - Julia Quinn, Mia Ryan, Karen Hawkins e Suzanne Enoch | Editora Arqueiro


"O evento mais cobiçado desta semana parece ser o iminente jantar de Lady Neeley, a ser realizado na noite de terça-feira. A lista de convidados não é longa, mas também não é notavelmente exclusiva, e, dadas as histórias que se espalharam sobre o jantar do ano passado, ou para ser mais específica, sobre o cardápio, todos os londrinos (em especial aqueles de maior circunferência) estão ansiosos para participar.

Esta autora não foi agraciada com um convite, portante deve padecer em casa com uma jarra de vinho, um pão e esta coluna, mas não sinta pena, querida leitora. Ao contrário daqueles que comparecerão ao iminente espetáculo gustativo, esta autora não precisa ouvir Lady Neeley!"

Tudo começa (e nem sempre termina) em um jantar ou um baile. Do cortejo dos salões ao beijo roubado por entre os corredores, tudo pode acontecer em uma cerimônia repleta de cordialidades e segredos e que reúne alguns dos personagens mais distintos (bem, alguns nem tanto) de sua época. Lady Neeley, por exemplo, é uma anfitriã cujas deslumbrantes festas tornam-se o assunto do ano em terras inglesas. Estar em uma lista de convidados da senhora Neeley era quase que uma validação de sua participação na sociedade - embora há suspeitas de que alguns convidados estavam em seus eventos apenas para protagonizar fofocas e constrangimentos, como por exemplo, no dia do episódio da pulseira roubada, que levantou infindáveis discussões e suspeitas entre os participantes. De qualquer modo, todo jantar ou baile era de fato um grande acontecimento, e a ansiedade de conhecer e ser visto era uma das maiores diversões da sociedade vitoriana dos séculos que nos antecederam.

Em Lady Whistledown Contra-ataca, as autoras autoras Julia Quinn, Mia Ryan, Karen Hawkins e Suzanne Enoch partem deste episódio do desaparecimento do bracelete de Lady Neeley em um de seus jantares sociais e, através de personagens e pontos de vista distintos, convida o leitor a enxergar diversos lados deste episódio (e claro, descobrir o que realmente aconteceu com o tal bracelete rs) e conhecer um pouco do cotidiano e costumes vitorianos através dos (complicados) relacionamentos que, de algum modo, foram possíveis através desta cerimônia realizada por Lady Neeley.


"- Você tem permissão para vir me visitar.
O coração dele deu um pulo.
- Tenho? Então o que...
- Com algumas regras.
(...) Ele sorriu devagar, incapaz de resistir a passar um dedo ao longo da face dela.
- Você é um desafio. (...) Eu olhei para você duas vezes e vi o que você é.
A cor começou a tingir as faces de Charlotte.
- E o que eu sou?
- Minha.
- Xavier...
(...) Ele podia sentir a pulsação dela sob seus dedos, firme e acelerada. Isso o encorajava."

Outra parte curiosa de cada uma das quatro histórias é a narração onipresente de Lady Whistledown, personagem que atuava em um folhetim londrino como cronista social (ou melhor, como "criadora de tretas da sociedade londrina" rs) e, através de seus afiados comentários, despertava grande rancor e desafetos (e, eventualmente, um cortejo decisivo) entre seus leitores. Embora interligadas, as histórias de Quinn, Ryan, Hawkins e Enoch têm sua autonomia, pois se dedicam ao desenvolvimento dos relacionamentos (amorosos) que surgiram neste ambiente social e que não escaparam aos olhares de Lady Neeley e muito menos de nossa afiada colunista senhora Whistledown.

Se você tem interesse por um romance de época mais "festivo" (isto é, sem maiores muitos dramas) e com diversas cenas de recusa e cortejo (e claro, com aquele hot suave característico), Lady Whistledown contra-ataca será uma boa leitura pra você! Ainda mais agora que a Arqueiro lançou Nada escapa a lady Whistledown, que já chega às livraria com toda aquela expectativa de "treta" que a gente tanto quer ler! :) rs


Lady Whistledown contra-ataca 

Sinopse: Com a participação especial da famosa cronista da sociedade criada por Julia Quinn, Lady Whistledown contra-ataca é formado pelas narrativas curtas de quatro escritoras consagradas, tendo como fio condutor o roubo de uma pulseira milionária. Seus contos são como pérolas que se unem e formam uma peça de valor inestimável.

Quem roubou o bracelete de lady Neeley?

Terá sido o caça-dotes? O apostador? A criada? Ou o libertino? Londres está fervendo com as especulações, mas, se ainda restam muitas dúvidas, pelo menos uma coisa é certa: um desses quatro está envolvido no crime.
(Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1816)

Julia Quinn encanta...
Um belo caçador de fortunas foi enfeitiçado pela debutante mais desejada da temporada. Agora ele precisa provar que o que deseja é o coração da jovem, não o dote dela.

Mia Ryan delicia...
Uma criada adorável e espirituosa está deslumbrada com as atenções românticas que tem recebido de um charmoso conde. Mas um relacionamento entre eles seria escandaloso e poderia arruinar a reputação dos dois.

Suzanne Enoch fascina...
Uma jovem inocente que passou a vida evitando escândalos de repente se vê secretamente cortejada pelo maior libertino de Londres.

Karen Hawkins seduz...
Um visconde que vaga sem destino volta para casa para reacender o fogo da paixão de seu casamento, mas descobre que sua linda e decidida esposa não será conquistada tão facilmente.


Nada escapa a Lady Whistledown

Em Nada escapa a lady Whistledown, a cronista eternizada por Julia Quinn continua a revelar os acontecimentos mais apimentados da temporada londrina. Suas colunas são o fio condutor das quatro histórias que formam esta encantadora e divertida coletânea.

Há tanto a ser dito sobre o baile oferecido por lady Trowbridge, em Hampstead, que esta autora não teria como contar tudo em só uma coluna...

Crônicas da sociedade de lady Whistledown, maio de 1813

Julia Quinn encanta...
A alta sociedade está em polvorosa, afinal a debutante mais promissora da temporada foi rejeitada por seu pretendente... apenas para ser conquistada em seguida pelo charmoso irmão mais velho do canalha que não a quis.

Suzanne Enoch fascina...
Um futuro noivo fica sabendo que o comportamento escandaloso de sua bela prometida foi parar na coluna de lady Whistledown e volta correndo para Londres com o intuito de ganhar o coração da moça de uma vez por todas.

Karen Hawkins seduz...
Um conhecido libertino tem sua amizade mais antiga e seu coração postos à prova quando uma adorável dama se encanta por outro cavalheiro.

Mia Ryan delicia...
Uma jovem é despejada da própria casa por um detestável – embora charmoso – marquês que pretende tomar posse não apenas do imóvel, mas também de sua antiga moradora.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Lançamentos de Abril - Galera Record


Olá, Leitores! Neste ano estaremos compartilhando aqui no Blog os lançamentos da Galera Record e também resenhando alguns de seus títulos :) Já estamos ansiosos pra mergulhar neste universo young adult e fantástico que a gente tanto ama! E pra começar bem o mês de abril, espia só: dentre os lançamentos da Galera, tem novidade da diva do YA Jennifer E. Smith! Será que vai rolar muitas lágrimas e muita fofura pelo caminho? Tomara!!

Conheça este e outros lançamentos de abril da Galera Record <3



Sorte Grande
Jennifer E. Smith


O amor é como a loteria.

Alice não acredita na sorte; perdeu os pais com um intervalo de apenas treze meses.

Mas Alice acredita no amor. De seus tios, de seu primo Leo, de seu melhor amigo Teddy. O coração, no entanto, já se foi há tempos. Dado de bandeja a Teddy. Há pelo menos três anos. E quando precisa decidir o que dar a ele no aniversário de 18 anos, a ideia parece chegar naturalmente... um bilhete de loteria. Com todos os números importantes para ambos: número de anos que se conhecem, data importantes e endereços marcantes.

Quando a combinação se prova vencedora e o menino ganha quase 150 milhões de dólares, os dois são jogados em um redemoinho de loucuras juvenis, interesseiros e sonhos de infância realizados. Tudo estaria perfeito, não fosse um beijo trocado no auge das comemorações. Um beijo que mudaria a dinâmica do casal. Mas o dinheiro não pode comprar o amor. Nem o que mais importa. Mas será que pode dar uma ajudinha?




Frio Congelante
Sarah Mlynowski


A série best-seller do The New York Times que faz uma releitura dos contos de fadas para ensinar às crianças a lidar com várias situações do dia a dia chega ao seu sexto volume!

Embora Abby e seu irmão Jonah tivessem decidido ficar longe do espelho mágico, seu cachorrinho tinha outros planos — Príncipe entrou no mundo dos contos de fadas de focinho e... cauda! O que os dois podiam fazer a não ser ir atrás do bichinho de estimação?

Ao chegar a um reino encantado e congelante, logo perceberam que provavelmente tinham ido parar na história da Rainha da Neve. Mas essa Rainha da Neve era supermalvada e transformou o cachorro em uma estátua de gelo! Agora eles precisam descongelar o amigo peludo e voltar para casa. Mas antes vão precisar escapar de um bando de ladrões conduzir uma rena muito tagarela e tomar muito cuidado para não acabare congelados também!



Assassin's Creed: Heresia
Christie Golden


Um conflito sem fim. Uma antiga injustiça. Uma nova revelação. Mais uma história original do universo de Assassins Creed.

Vencedor do Prêmio Scribe 2017, da autora best-seller do The New York Times Christie Golden, Heresia é mais uma história original no universo de Assassins Creed.

Revivendo as lembranças de seu antepassado que lutou ao lado de Joana d’Arc, o Templário de alto escalão, Simon Hathaway descobre segredos do passado que poderiam afetar perigosamente o seu presente e o de toda a Ordem dos Templários.

Simon Hathaway, membro do salão sagrado interno dos Templários e novo Chefe da Divisão de Pesquisa Histórica das Abstergo Industries, traz ao departamento uma abordagem racional e uma maneira distinta de realizar certas tarefas.

Mas Simon também nutre uma curiosidade insaciável e está fascinado pela ideia de viver a história em primeira mão, através de seu antepassado Gabriel Laxart, que lutou ao lado da lendária Joana dArc.

Quando entra no Animus, recém-renovado para um projeto, Simon se descobre despreparado para o que encontra; para o quão profundo é o conflito entre Templários e Assassinos. Para o que Gabriel fará pela mulher que ama e reverencia em igual medida.

E para a verdade mais perigosa de todas: quem é o herege e quem é o verdadeiro detentor da fé. 



Andrea Portes

Entre sentimentos inesperados, lealdades compradas e a máfia russa, a jovem espiã Paige tem que decidir se vale a pena acreditar em heróis, - e descobrir se, talvez, ela poderá ser também um deles.

Paige Nolan é uma jovem fora do comum: fluente em vários idiomas, faixa preta em diversas categorias de luta e dividida entre três namorados (para que se prender a apenas um?).

Mas ela também tem um lado cínico... Afinal, seus pais são ativistas pelos direitos humanos, jornalistas acostumados a denunciar desmandos de ditadores e coisas do tipo. Por isso mesmo, ela devia saber que bancar a heroína numa lanchonete no meio do nada ia acabar mal. Agora ela está sendo cortejada por uma agência de espionagem superconfidencial. A missão? Resgatar Sean Raynes, um dos heróis de Paige, agora vivendo na Rússia.

Ciente dos interesses ocultos de governos e corporações mundiais, dificilmente ela gostaria de trazer do exílio o homem responsável por expor as técnicas inconstitucionais de espionagem usadas pelo governo americano. Apesar de metade do país o considerar um traidor. O problema é que a agência — e o espião megagato Madden Carter — tem informações privilegiadas sobre os pais da garota. Os mesmos pais que ela acreditava terem morrido no interior da Turquia, ao perseguir uma denúncia sobre terroristas ameaçando freiras indefesas...



Círculo secreto: A tentação (Vol. 6)
L. J. Smith


A conclusão da saga Círculo secreto, da mesma autora de Diários do vampiro.

Como líder do Círculo Secreto, Cassie foi constantemente confrontada com escolhas impossíveis e novos perigos. Mas, dessa vez, um movimento errado pode separar o Círculo para sempre. Enquanto luta contra sua meia-irmã, Scarlett, Cassie enfrenta uma nova e terrível ameaça: os ancestrais que possuíram os corpos de seus amigos. A maldição de Black John foi liberada no Círculo, e cabe a ela corrigir as coisas.

Com seus inimigos rapidamente se aproximando, Cassie luta para manter seu coração verdadeiro e sua alma pura. Mas ela sabe melhor do que ninguém que toda magia vem a um preço, especialmente quando o Livro das Sombras de Black John está envolvido. Cassie conseguirá derrotar a escuridão de uma vez por todas ou o círculo estará perdido para sempre?


 
Casa dos segredos: A colisão dos mundos (Vol. 3)
Chris Columbus

A conclusão da trilogia best-seller do The New York Times, que foi chamada por J. K. Rowling de "uma montanha-russa vertiginosa repleta de aventura".

Depois da última aventura pelo mundo dos livros, os irmãos Walker acharam que suas vidas finalmente voltariam ao normal. Mas as coisas não ficaram lá tão calmas. Especialmente depois que Gordo Jagger resolveu aparecer na Baía de São Francisco – e começou a correr sério perigo!

Com a polícia se aproximando, os irmãos precisam descobrir como salvar o gigante. Mas, conforme outras criaturas místicas começam a aparecer por toda a América, fica claro que os personagens de Denver Kristoff estão invadindo o mundo real.

Os Walker terão de voltar para o universo criado pelo escritor para impedir a colisão dos dois mundos e evitar a destruição de seu lar.

A única saída para os irmãos é encontrar os três Protetores de Mundos escondidos nos livros de Kristoff.

Juntos, os objetos se tornam a única coisa que pode separar os dois mundos de uma vez por todas.



Merlin: O espelho do destino (Vol. 4)
T.A. Barron


O quarto volume da série Merlin, que teve os direitos de adaptação cinematográfica comprados pela Disney.

Depois de salvar Fincayra dos impiedosos kreelixes e de recuperar sua magia, a única preocupação de Merlin parece ser controlar sua sombra – que insiste em zombar do mago.

No entanto, devido a um feitiço mal-executado, Merlin e Hallia, a menina-corça, acabam nas margens do Brejo Assombrado, onde as árvores parecem gemer de medo e estranhas criaturas têm surgido.

Quando uma ave rouba sua espada e a abandona nos confins do Brejo, Merlin precisa enfrentar o medo e se aventurar no local de onde todos estão tentando fugir. Uma estranha magia tomou conta do Brejo Assombrado e, se quiser recuperar a espada que faz parte de seu futuro, o mago terá de investigar o que – ou quem – está causando isso.

Em sua jornada pelo assustador território, Merlin encontra um espelho que poderá lhe dar as respostas que procura. Mas, quando dá uma olhada nele, a pessoa que vê é a que menos esperava encontrar.

Um Reino de Sonhos - Judith McNaught | Bertrand Brasil


Pode parecer engraçado, mas eu comecei a gostar deste segmento do "romance histórico hot" há pouquíssimo tempo rs. No entanto, posso dizer pra vocês que este é um nicho literário do tipo... viciante! Ainda que algumas autoras prezem por uma escrita um tanto "descritiva demais", especialmente nas inúmeras cenas amorosas de seus protagonistas (se bem que a "graça" deste gênero é justamente esta rs), é interessante ter uma perspectiva (ainda que ficcional) de como eram relações de parentesco e casamento de alguns séculos, e de como algumas destas estruturas se transformaram - e desapareceram - completamente ao longo dos tempos. É através de autoras como McNaught, Julia Quinn, Lisa Kleypas e muitas outras que aos poucos descobrimos essas histórias que, por sua carga de romance, poder e erotismo, são ainda bem parecidas com a realidade de nossos dias.

No caso de Judith, seus romances já estão nas prateleiras há mais de duas décadas, com um destaque especial para um imaginário de cavaleiros, disputas, amores e reinos. Originalmente publicado em 1989, e reeditado pela Betrand Brasil em 2018, Um Reino de Sonhos é o romance de estreia da autora e também o primeiro volume a apresentar a trilogia da Dinastia Westmoreland.

Conheça a sinopse: Royce Westmoreland, o “Lobo Negro”, é enviado pelo rei da Inglaterra para invadir a Escócia. Quando seu irmão, Stefan, sequestra Jennifer e Brenna Merrick, filhas de um lorde escocês, do convento onde vivem, as vidas de Royce e Jennifer se entrelaçam. Ele, um poderoso guerreiro que já ganhou muitas batalhas, não vê a hora de encontrar uma mulher que o amará pelo homem que é, não pelo medo inspirado por sua lenda. Ela, uma jovem rebelde em busca do amor e da aceitação de seu clã, mesmo na condição de prisioneira, não se deixa abalar pela fama de seu arrogante captor.

Conforme os conflitos entre os dois se tornam mais frequentes, a urgência de se entregarem um ao outro só aumenta. Certa noite, quando ele a toma apaixonadamente nos braços, desperta nela um desejo irresistível. Mas, se Jennifer seguir seu coração, perderá tudo aquilo pelo que vem lutando e jurou honrar.


O livro tem início com o universo familiar da protagonista Jenny, cujo temperamento rebelde e inconformista sempre foi percebido como uma espécie de afronta para os costumes de sua época. Embora necessário, o comportamento de Jenny tornou-se sua própria armadilha, visto que os temores provocados pela instabilidade política de seu reino eram infinitamente maiores que os provocados por sua própria família. Neste clima de tensão social e política, nossa protagonista presenciou batalhas tanto em casa como nos campos, porém, foi durante uma ocupação de reinos que Jenny tornou-se refém do inimigo-mor de seu povoado, e será a partir deste episódio que a trama de Judith McNaught tomará forma e conduzirá o leitor rumo a desfechos intrigantes.

Como é possível prever, Jenny e seu algoz, Royce Westmoreland, embora tenham se aproximado em circunstâncias abusivas (um casamento forçado e um sequestro), a proximidade cotidiana de ambos acaba superando quaisquer medos provocados por esta disputa política entre reinos; não é spoiler, mas a autora acaba concentrando boa parte de sua história nesta improvável - porém inevitável - relação entre Jenny e Royce, e o leitor encontrará sim momentos interessantes de afeto, sedução e honra em diversos momentos da trama.

Um Reino de Sonhos é tanto uma narrativa que remonta aos embates sócio-políticos entre Escócia e Inglaterra como uma construção diária do caráter e personalidade de seus personagens, cujas inquietações e desejos serão postos em xeque pelos papéis e deveres a eles impostos. É um livro que, apesar das muitas cenas hot, não se distancia por completo da ficção histórica, e este é um elemento que certamente irá prender a atenção de leitores de todos os gostos. Vale conhecer!


Sobre a autora: Com mais de quinze romances publicados, Judith McNaught vem acumulando prêmios e elogios de jornais de prestígio como o  New York Times e o USA Today. Antes de iniciar a carreira de escritora, trabalhou com comunicação e finanças, se tornando a primeira mulher a assumir o cargo de produtora executiva da rádio CBS no estado do Texas. Whitney, meu amor, seu primeiro romance, foi publicado originalmente em 1985 e logo se tornou um clássico. A autora também publicou Agora e sempre (1987), Em busca do paraíso (1991), Até você chegar (1994), Sussurros na noite (1998), Todo ar que respiras (2005), entre outros. Uma das escritoras mais amadas dos Estados Unidos, McNaught nasceu no Missouri e vive no Texas.

segunda-feira, 12 de março de 2018

Gostar de ostras - Bernardo Ajzenberg | Editora Rocco


Gostar de ostras - Bernardo Ajzenberg
Editora Rocco

"Mas, até onde sei, e hoje concordo com Marcel e Rachelyne, realmente ninguém apaga o passado, não há como, mesmo que se esforce para fazê-lo, mesmo que se trema de corpo inteiro ao lembrar dele, mesmo que os olhos fiquem doloridos de tanta esfregação. Ou serei eu, na verdade, que me recuso a juntar os cacos, como se diz, que me recuso a tirar do fundo de minha mente essa história, preferindo jogar nos outros a culpa por esse vazio, pelo meu vazio?" (p. 77-78)

A solidão do homem é uma cidade, ou uma espécie trincheira. Por faltar-nos um melhor otimismo, a joie de vivre é um habitat idílico, a alguns quilômetros de nossa melhor subsistência. Neste mapa de fronteiras pálidas, há um pouco de sol na baixada santista, e toda uma escuridão entre o trabalho e a geladeira vazia. Não há beleza ou desalinho em uma vida assim: um cigarro quando a reunião perde o sentido; um corpo qualquer em um sábado vazio; um feriado ensimesmado em nossa própria estranheza. Prazer, meu nome é Jorge, sobrenome Melancolia.

A alegria de viver, segundo Marcel e Rachelyne, os vizinhos, é uma espécie de refúgio; entre álbuns e memórias da juventude, dançar conforme o tropeço dos dias é ao mesmo tempo troça e alegria: rir de si mesmo e também Jorge, o melancólico vizinho, pode ser um novo tesouro, principalmente quando as estrofes finais de uma partitura se aproximam, embora resilientes ao improviso de todo chorinho.

Gostar de Ostras tem início nos corredores de um edifício. Entre gargalhadas e ingratidões, um sotaque embolado, meio França meio Alzheimer, despertou Jorge de seu nada matinal. Embora os relatos da última feira e os da trágica Noite dos Cristais permaneçam como um eco cruelmente nítido, Jorge pouco quis saber de seus novos vizinhos: pegou o seu nada, o cigarro e a chave do carro e seguiu para mais um dia de trabalho.

Quando foi que nos tornamos insensíveis? Sob o olhar anônimo da grande São Paulo, Jorge tinha apenas a certeza de sua própria mediocridade (amanhã será diferente - mas, se não for, tudo bem); como se para desordenar este roteiro, Marcel atravessa a campainha do vizinho, oferece um vinho e uma dúzia de incidentes que ainda o fazem sorrir. Talvez pelo tamanho de nossa metrópole (não existe amor em...) e pelo cinza de nossas barricadas, não seja um costume partilharmos trivialidades; ainda assim, Jorge encontrou graça (e uma menor solidão) na companhia deste senhor de velhas histórias e novos convívios (você já conversou com o barbeiro? o armazém é de 1915, você sabia? compramos ostras, Rachelyne o convida para jantar).

Cada experiência é um registro de nossa desaparição. Em São Paulo ou onde não mais nos encontramos (casa de infância ou ferida dos Campos), a vida do homem é seu cárcere, e também um sopro de liberdade. Embora sozinhos, haverá sempre uma foto desbotada, um relacionamento morno, uma roupa amarrotada, um romance de cavalaria, um filho. Quando se perde o cuidado de si, a vida se perde em repetição; para sair da trincheia, é preciso assumir os riscos, encarar estilhaços, expor a pele ao sol de cada relacionamento, não importa se na metrópole ou na lembrança de 1945. Gostar de ostras é um livro sobre nós mesmos - apesar de você; apesar do que escrevemos em nossos poucos dias.



Sinopse: Ao fim de mais um dia de trabalho regado a tédio e inércia, Jorge, alheio a qualquer vizinho, caminha pelos corredores do condomínio onde mora para enfim se atirar no sofá ilhado entre as paredes nuas de seu apartamento e ouvir a habitual trilha sonora: as gargalhadas dos Durcan no andar de cima. Fosse ele rabugento, teria todos os motivos para pegar uma vassoura e bater forte no teto da sala. Mas quem em sã consciência, por mais sensível que seja a ruídos externos, teria coragem de protestar contra aqueles espalhafatosos octogenários franceses? A história desse pacato repórter de 30 e poucos anos, cuja rotina é tomada pela exuberância do casal Marcel e Rachelyne, conduz a narrativa de Gostar de ostras, novo romance do escritor, jornalista e tradutor Bernardo Ajzenberg, que, após o aclamado Minha vida sem banho, volta a conjugar o coletivo e o individual para produzir uma literatura ao mesmo tempo delicada e urgente.

Aquela sensação é uma velha conhecida de Jorge. Sempre que ouve uma das erupções dos Durcan, se dá conta do contraste entre a fúria feliz dos vizinhos e a precariedade de seus dias carregados de melancolia. Chegou a fazer os cálculos: descontadas as sete horas diárias de sono (uma de suas raríssimas conquistas ainda intocadas, salvo nas noites em que os franceses aprontavam das suas), uma semana tem 119 “horas úteis”. Como cerca de 105 se dividem entre o que chama de “momentos neutros” e “momentos melancólicos”, sobram, em média, duas horas diárias para os “momentos de bem-estar”. E, já que tempo para esse tipo de pensamento não costuma faltar, ele constatou também que quase 100% de seus 33 mil genes reproduzem o temperamento de seus pais, cujo projeto de vida mais ambicioso sempre foi a manutenção do dia a dia.

Certa noite, após repetidos encontros entre a portaria e o elevador, Jorge recebe um convite para jantar com os Durcan e descobre que o refúgio do casal é o exato oposto do espaço que ele ocupa imediatamente abaixo. Repleto de quadros, fotos, mesinhas, cinzeiros, cumbucas, estatuetas e lustres, remetendo a uma loja de antiguidades, parece uma caverna estranha e extremamente aconchegante que, construída pelo acúmulo de dezenas de anos e histórias, projeta uma viagem subliminar por lugares e tempos. Como a trepadeira no jardim do prédio – que insiste em crescer desordenadamente, muitas vezes em direção ao nada, mas gera uma flor de um roxo claro e ao mesmo tempo profundo, inegavelmente belo –, uma amizade improvável vai nascer naquele apartamento, revirando memórias e semeando mudanças.

Com delicadeza e completo domínio sobre a narrativa, Bernardo Ajzenberg aborda em Gostar de ostras temas como solidão, alienação e resiliência, enquanto discute a relação entre passado, presente e futuro. Se para Jorge o que já aconteceu parece algo abstrato demais, um amontoado de cenas que ele preferia manter encaixotadas atrás de um biombo, Marcel e Rachelyne não têm dúvidas de que são os tesouros de ontem que se reconstituem dentro de cada pessoa para formar o hoje – ainda que só quem vive intensamente o presente pode ser capaz de arquitetar um passado. Mesmo porque, como bem nos lembra W.B. Yeats na frase da epígrafe, “a vida é uma longa preparação para algo que nunca acontece”.


quinta-feira, 8 de março de 2018

Conhecendo a Editora InVerso


O post de hoje é dedicado ao trabalho de uma jovem casa publicadora curitibana, a Editora InVerso, que iniciou seus trabalhos no ano de 2004. Com um catálogo de títulos de autores paranaenses e latino-americanos, a Editora tem sua distribuição em diversos pontos de venda pelo Brasil e, recentemente, chegou aqui no RJ um envelope recheado de lançamentos <3 Vamos conhecer estes novos autores?


Travessias – Vozes da Literatura Paraguaia/ Travesías – Voces de la Literatura ParaguayaO título que dá nome a esta publicação encerra, em sua gênese, a busca sensível de atravessar e reconhecer as facetas da produção de uma comunidade literária que, ao longo de muito tempo, manteve-se pouco conhecida do público brasileiro. Travessias — vozes da literatura paraguaia constitui-se, portanto, em uma espécie de viagem, um empreendimento arriscado, mas necessário de apresentar, de forma panorâmica, parte da produção literária realizada no Paraguai desde os princípios do século XX até a contemporaneidade. 
 

Cartas de Isabella - Isabella Fernandez Ibargoyen
De um simples bilhetinho, surgia uma promessa. Um simples rabiscado de letras e palavras que parece fazer todo o sentido nestes dias. Uma história de amor tem dessas coisas. Dessa troca de afeto, desses beijos que nos fazem viajar, desses abraços que nos confortam de tudo, dessa conquista diária.

Uma história de amor pode acabar por uma série de motivos. Seria a morte física um deles?

As Cartas de Isabella nos sugerem respostas através de seus desabafos, de suas conversas, que ultrapassam a vida terrena e um julgamento alheio a sentimentos. O conteúdo é um exemplo de superação de uma perda. É a retomada, o renascimento, a compreensão e o prosseguimento. É amor na sua mais pura e verdadeira essência. É a história de um amor sem fim.


Vida em Versos - Ana Paula Moraes
Otimismo, fé, esperança, amor… Tantos sentimentos traduzidos em versos, resultam em livro singelo capaz de acalentar o leitor com as mais belas mensagens que vem do coração.

“O gostoso da vida é surpreender e ser surpreendido
Pequenos detalhes nos motivam
Pequenos gestos nos inspiram
Diante de atitudes, palavras calam
E no silêncio do momento, os olhos falam…
Escute sem questionar as palavras que vêm do coração
Só elas serão capazes de te dar direção.”


Olhos cheios de mar, cheios de água - Débora Corn
Olhos de Mar Cheios de Água, de Débora Corn, é um livro que homenageia Fernando Pessoa, ligando seus heterônimos às cidades que ela sentiu em Portugal: Lisboa e Bernardo, Porto e Reis…

Há ainda outros poetas portugueses homenageados: Alexandre O’Neil, Herberto Helder, José Luiz Peixoto, Agustina Bessa-Luís e Luís de Camões. É um alfarrábio que fala de oceano, rio e muita água no olhar; com água nos olhos, escreveu também sobre o fado, que enche o âmago da poetisa de fulgor

"Abandona-me aqui no minuto infinito
Tolere-me ouvir mais vinte vezes o choro
Deixe-me chorar a ler os versos do meu poeta lusitano"



Pequenas delicadezas cotidianas - Lilyan de Souza
Pequenas Delicadezas Cotidianas é um livro de contos que traz uma prosa poética moderna, carregada de imagens cotidianas, ora cômicas, ora dramáticas, mas todas repletas desentimentos que as delicadezas diárias nos proporcionam e nem sempre são lembradas. As narrativas compostas por frases curtas e de impacto intimista, com enorme apelo visual, aproximam o leitor de cada imagem descrita,de cada história narrada, fazendo do leitor umcúmplice, um agente ativo de cada conto,quase um amigo.


Poesias para um grande amor - Luiz Arthur Montes Ribeiro
Poesias para um grande amor é uma antologia de escritos poéticos de Luiz Arthur Montes Ribeiro entre os anos de 2004 e 2015, e faz parte da exposição de poesias denominada Porta-Retratos Poéticos I, em que o autor declara seu amor à vida, ao ato de amar, e ao mar.


Te Conto Que Me Contaram - Gloria Kirinus
O resgate do eco milenar do contador de histórias, provoca o imaginário do leitor. A autora dedica esta histórias a dois grandes contadores: Fernando Lebeis e Maurício Fruet.O primeiro, marcou preciosa presença no Programa Nacional de Leitura – PROLER – e o segundo relevou o caráter lúdico,conciliador e humano do político. As ilustrações de Fernando Cardoso completam a poesia desta história que nunca termina de se contar.

Jardins imaginários da minha solidão - Luiz Arthur Montes Ribeiro
Jardins Imaginários da minha solidão é uma coletânea de poesias escritas pelo autor em momentos de profunda dor, profunda angústia e profunda solidão. É um rompimento com os sentimentos angustiantes…uma despedida. E como em toda despedida, é também um recomeço, um início de novos amores e novas floradas. Escrito em português, inglês, espanhol e francês o livro é um convite ao imaginário pertencente a tua desilusão.

Vassoura Mágica - Daiane Pereira Rodrigues
Todos os dias minha vó passava cumprimentar o senhor Francisco, o marceneiro. Seu comércio era o mais encantador de todo os bairro. Vivia entre móveis antigos cujo brilho constrastava coma simplicidade de dezenas de cabos de vassoura que se misturavam com brinquedos de madeira e objetos estranhos.

Todos los dias mi abuela pasaba a saludar el señor Francisco, el carpintero. Su comercio era el más encantador del barrio. Vivía entre muebles antiguos cuyo brillo constrastaba com la sencillez de decenas de palos de escoba que se mezclaban com juguetes de madera y objetos raros.


Obrigada por compartilhar tantas novidades com o Blog, Editora InVerso! Em breve teremos reviews e resenhas por aqui :)

Para conhecer mais da Editora, siga: Instagram | Facebook | Twitter
segunda-feira, 5 de março de 2018

Volta às Aulas e Papelaria - Parte 2 | Cadersil


Hoje é dia de unboxing dos mimos que chegaram da Cadersil, empresa do segmento de papelaria lá de Campina Grande, Paraíba.

A Cadersil atua no mercado de fabricação de cadernos e materiais escolares desde 1993 e é visível a inovação de seus produtos a cada ano . Recebemos alguns cadernos da Coleção 2018 (são mais de 40 modelos!!) e ficamos apaixonados! Todos os cadernos possuem bolso, cartela de adesivos e folha de rosto decorada :) Conheça alguns modelos da Coleção 2018: 


Coleção I Love Unicorns e Coleção Princess




A Coleção I Love Unicorns possui 4 modelos de capa e a Coleção Princess 8 designs super fofos.


Coleção Body Art e Coleção Rocker Girl


A Coleção Body Art também possui 4 modelos de capa e a Rocker Girl 8. Aliás, estes modelos foram um presente da Cadersil para os nossos leitores <3 Quem nos acompanha no Instagram certamente participou do sorteio deste kit <3 Esperamos que rolem muitos outros em breve!

Obrigada Cadersil por apoiar o nosso blog em mais esta volta às aulas <3 E que venham mais novidades por aí! :)

Espero que curtam e incentivem mais esta empresa que a cada dia expande seu alcance e compartilha fofura com todos nós que amamos uma boa papelaria :)

Conheça mais da marca: Site | Instagram | Face | Twitter | Youtube